Posse Responsável

dog gramado.jpg

Em maio desse ano na cidade de Presidente Figueiredo (AM), um cão que havia sido atropelado e não conseguia andar por estar com os membros fraturados, foi jogado dentro de um caminhão de lixo por um funcionário que julgava “acabar” com o sofrimento do animal. 

É de indignar qualquer um quando notícias de maus tratos contra animais aparecem na mídia. Normalmente o agressor é rotulado como o mostro da história (e ele é), porém, outros monstros contribuem para o triste fim desse animal e tudo porque a Posse Responsável não é praticada e fiscalizada no nosso país. 

O que é a Posse Responsável? É um conjunto de obrigações, cuidados e manejo que
os donos dos animais de companhia (cães e gatos) devem ter, visando o bem-estar
mútuo, pois animais errantes, além de sofrerem com todos os intempéries e perigos do dia a dia nas ruas, se tornam também um problema de saúde pública. 

Só em São Paulo há mais de 2 milhões de animais vivendo nas ruas. Uma cadela tem em média 16 filhotes por ano, uma gata 15 filhotes nesse mesmo espaço de tempo e ambas podem reproduzir até o fim de suas vidas. E esses números só tendem a crescer. 

Castrar para o controle populacional, vacinar, registrar o animal (com plaquinhas ou microchip), boa higiene, boa alimentação e acima de tudo ter a ciência dos gastos financeiros, tempo de vida do animal e da dedicação que eles exigem, são pilares de sustentação da Posse Responsável, ou seja, todo aquele que deseja ter um animal precisa antes tomar conhecimento de todos esses pontos para um convívio harmônico entre as espécies. 

A adoção de cães e gatos por aqueles que realmente desejam um animal é a melhor maneira de unir o útil ao agradável. Além de ajudar os que precisam, você ganha um companheiro e ainda é recompensado com muito amor.